top of page

Vídeo: ​Guilherme Couto

Acervo CÉU

​Galeria Consolação

Rita Wainer
Rita Wainer
A CIDADE É NOSSA, 2017

(APAGADO) - O icônico mural simbolizando a resistência da cidade pela cidade foi apagado em Novembro de 2023. O mural foi produzido à convite da Agremiação dos Acadêmicos do Baixo Augusta e foi inaugurado no Carnaval do mesmo ano. O mural também simbolizava um grito de resistência a política de apagamento que se instaurava pela cidade, iniciados com os grafites da 23 de Maio.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

1/20

Kobra
Kobra
ALTA MIRA, 2014

Esse mural do Kobra, o artista urbanos e brasileiro mais conhecido do mundo, foi parte do projeto Greenpincel e tráz como denúncia os violentos conflitos envolvendo as demarcações de terrras indígenas que acontecem na cidade de Alta Mira, no Pará. O mural foi revitalizado em 2023.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

2/20

Kauê Fidellis (Kuêio)
Kauê Fidellis (Kuêio)
NOME DA OBRA NÃO IDENTIFICADO

Mural faz parte da campanha "1 ano de iFood gratis". Nessa obra o característico coelho de Kuêio ocupa uma parede no centro de São Paulo.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

3/20

Thales Pomb
Thales Pomb
VIDA EM MOVIMENTO, 2019

Em 10 metros de largura, 45 de altura e um misto de cores em que prevalece o azul, Pomb e propõe uma reflexão sobre a vida nos centros urbanos.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

4/20

Speto
Speto
MÃE PROTETORA DO BAIXO AGUSUTA, 2019

Fortalecendo a produção dos murais na galeria da Consô, o Academicos do Baixo Augusta convida um dos grandes artistas urbanos para retratar um simbolo Mãe.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

5/20

Cadumen
Cadumen
A CURA, 2020

O mural faz parte do Projeto MAR 2020 e simboliza um cenário pós-pandemia e as mudanças vindas com esse depois.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

6/20

Paulo Ito
Paulo Ito
DIA DE RESPONSA, 2018

(APAGADO) Em parceria com a Ambev, Paulo Ito retrara as vantagens do consumo consciente de bebida alcoólica.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

7/20

NOME DO ARTISTA NÃO IDENTIFICADO
NOME DO ARTISTA NÃO IDENTIFICADO
NOME DA OBRA NÃO IDENTIFICADO

Alvo de intervençoes artísticas pedindo uma reflexão sobre o deserviço para as pessoas, o mural segue nas paredes da  Escola Professora Marina Cintra.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

8/20

Hanna Lucatelli com frase de Aline Bei
Hanna Lucatelli com frase de Aline Bei
SENHORA DE PRATA, 2023

Pintura, poesia e o protagonismo feminimo se encontram na arte de rua com a continuação do projeto contemporâneas Vivara.  Nessa obra mais uma personagem do imaginário de Hanna ganha vida na cidade e junto dela palavras sensíveis da escritora Aline Bei completam a obra.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

9/20

Luz Ribeiro
Luz Ribeiro
MATERNIDADE

Celebrando a produção artística das mulheres, nessa edição o Contemporâneas Vivara coloca junto Luz Ribeiro e Verena Smit, com delicadeza, calmaria e uma grande reflexão, as artistas emplacam em um mesmo condomínio com duas empenas cegas conceitos de maternidade.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

10/20

Verena Smit
Verena Smit
MATERNIDADE

Celebrando a produção artística das mulheres, nessa edição o Contemporâneas Vivara coloca junto Luz Ribeiro e Verena Smit, com delicadeza, calmaria e uma grande reflexão, as artistas emplacam em um mesmo condomínio com duas empenas cegas conceitos de maternidade.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

11/20

Bloco Acadêmicos do Baixo Augusta
Bloco Acadêmicos do Baixo Augusta
ELZA SOARES, 2020

O mural foi levantada após uma iniciativa do Bloco do Acadêmicos do Baixo Augusta usando a técnica do lambe-lambe, sendo inclusive reconhecido como um dos maiores lambe-lambes da América Latina.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

12/20

Felipe Cama
Felipe Cama
ELZA SOARES, 2023

Numa mesma empena cega que já tinha dado vida a um mural homenageando a artista Elza Soares, Felipe Cama volta a reverenciar a cantora por lá em homenageam aos 70 anos que Elza comemoraria de carreira. Nesse mural o artista juntou em mais de 800 metros quadrados cerca de 40 tons diferentes e um total de 1.491 quadrados coloridos.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

13/20

Regis Teixeira
Regis Teixeira
TUEZÃO, 2020

Com 70m de altura o mural fez parte do novo projeto do cantor Matuê, intitulado “Máquina do Tempo”.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

14/20

Jack Lack
Jack Lack
FOR SALE, 2023

Esse mural faz parte da campanha "Spray For Life", que reuniu grafiteiros de todo o mundo para representar a diversidade da fauna e flora mundial.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

15/20

Mona Caron
Mona Caron
VIVER DE LUZ, 2020

Nesse mural Mona Caron mergulha na pintura do retrato, especificamente Mauro Neri, o artista urbano e letrista responsável pelas grandes com a conjugação da palavra VER espalhadas pela cidade.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

16/20

Tot Pdf Crew
Tot Pdf Crew
AVE GRANDE, 2023

Nesse mural a campanha "Spray For Life" reuniu grafiteiros de todo o mundo para representar a diversidade da fauna e flora mundial.


Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

17/20

Tot Pdf Crew
Tot Pdf Crew
NOME DA OBRA NÃO IDENTIFICADO

Em levantamento.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

18/20

Kobra
Kobra
ETNIAS, UNIÃO DOS POVOS E PAZ, 2018

Em 7 metros de altura e 27 de comprimento, Eduardo Kobra, referência no muralismo mundial, subiu esse mural na Consolação em objetivo de valorizar as diferenças étnicas e culturais que formam o Brasil.

Foto:

Guilherme Couto

Acervo CÉU

19/20

Mauro Neri
Mauro Neri
PRETA VERACIDADE, 2023

EM 800m², Mauri Neri propõe nesse mural uma reflexão sobre o lugar que mulheres negras precisam ter na cidade, deixando-as como protagonistas e no centro do debate.

Foto:

Ricardo Yamamoto

Acervo CÉU

20/20

Obras/Artistas:

Arraste para o lado para ver todas as obras

​Nossas boas-vindas

Essa enciclopédia é de acesso público e visa promover e preservar a história das Artes Urbanas. Aqui você encontrará fotos, vídeos documentários, textos explicativos, entrevistas e outras informações sobre as artes que estão nas ruas. Nos ajude a construir o CÉU e participe cadastrando novas obras, galerias ou sugerindo correções, entre outros, acesse Collab com o Museu

Vídeos da galeria

Viva Elza

Artista Frâncio de Holanda, 2021

A Cidade é Nossa

Rita Wainer

  • No trajeto entre a Praça Franklin Roosevelt e a Avenida Paulista existe a Galeria da Consolação. Munida de virtude e resistência, essa galeria exala a força da arte de rua na  maior capital da América Latina. 
     

    A movimentação pela Arte Urbana nesse pedaço da cidade tem como motivação o emblemático apagamento da 23 de Maio em 2017, ano em que o debate sobre arte de rua se polarizava na cidade com os apagamentos intensificados pelo estado e município, levando o debate para outras esferas.

    O mural “A Cidade é Nossa”, de Rita Wainer, veio por esse viés. O bloco Acadêmicos do Baixo Augusta lançou um grito pelo direito à cidade e o mural desde então se tornou um dos grandes símbolos na luta pelo freamento da política do apagamento. Com milhares de foliões na rua, a arte marcou o Carnaval daquele ano!

    E com as tags de pixo e os grandes murais pintados, as obras de arte foram surgindo nesta região, geralmente com pinceladas de questionamentos sociais, indo desde obras com autoria de artistas consagrados na arte urbana, como Apolo Torres; Criola; Mona Caron; Hanna Lucatelli e outros, até às releituras de grandes obras da história da arte brasileira.

    Outro artista que ocupa as empenas cegas e tem um grande papel no debate sobre a democratização do acesso por meio da arte é Mauro Neri (Veracidade). O artista tem espalhado pelo Brasil e no mundo suas frases com a conjugação da palavra ver e é responsável por murais gigantes que podem ser encontrados na galeria da Consolação e nos entornos mais próximos. Quem visita a galeria da Consolação também pode dar de encontro com obras do Kobra usando uma linguagem que ele colocava para o mundo lá no começo de sua trajetória, “Altamira”. Outra obra emblemática e de autoria desconhecida é a representação da catequização dos padres aos povos indígenas, uma manifestação artística alvo de debates e protestos, mas que permanece. 

     

    Com isso, há de se refletir que apesar do espaço que a arte urbana atingiu na cidade de São Paulo, vira e mexe ações vão demonstrando retrocessos, seja por parte do poder público ou iniciativa privada que persistem em políticas de apagamento. O mural “A Cidade É Nossa”, que já tinha sido alvo de um possível apagamento em 2020, foi 90% apagado em 2023, com a justificativa de que o prazo para a obra ficar ali havia terminado. Essa ação só foi interrompida a partir de uma liminar concedida em favor da artista, que interrompeu o apagamento. Mas até quando
     

    • As estações de metrô mais próximas são Paulista, Consolação e Mackenzie

    • O cemitério da Consolação pode ser visitado e é conhecido como um reduto para descanso de grandes artistas brasileiros

    • O Petra Belas Artes é um cinema de rua que existe desde os anos 60 e antes era chamado de Cine Belas Artes

Faça os Tours Educativos e conheça as Galerias de Artes Urbanas

​Você será conduzido(a) a uma imersão no universo de artistas e suas criações nos espaços públicos. Além disso, você terá a experiência única de fazer um workshop de grafitti.

bottom of page